quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Oi estranho!


Oi estranho!

Sim, é com você mesmo que falo!

Você que é um estranho para mim... às vezes, penso: "será que foi sempre assim?" "será que fomos sempre estranhos um para o outro?"

Não sei... penso que existe uma parte de mim em você... assim como existe um pedaço seu em mim. Mesmo entre os mais estranhos, parece haver algo em comum.

Somos estranhos, talvez sempre tenhamos sido e talvez sempre seremos. Talvez sejamos estranhos até de quem mais conhecemos e, pensando assim, podemos ser estranhos para nós mesmos...

Isso não é bem assustador... creio que é triste.

No entanto, temos muito em comum, em nossa estranheza recíproca. Talvez sonhos e metas sejam diferentes... mas a dor que te derruba, também me derruda.. e a força que te mantém, também me matém. Somos estranhos em pensamentos e ações... mas talvez não sejamos estranhos no que nos move, no que nos aflige, atormenta, estimula e amedronta...

Somos estranhos até nossa morte, mas a morte, no fim, é a mesma... mesmo diferente.. o fim é o mesmo.

Nossa estranheza nos aniquila igualmente. Nossa vida é aniquilada por sonhos estranhos, por desejos estranhos, por esperanças estranhas.

Você, querido estranho, me é tão estranho quanto eu mesma sou a mim.

Você é meu estranho e eu sou sua estranha e sou estranha de outrem assim como outrem é meu estranho e... por que não? meu similar...

Somos estranhos similes e similes estranhemente familiares...

Posso nunca ter te visto, posso já ter te visto.. Posso nunca ter falado com você e posso ter falado com você exaustivamente... Com que parte sua falei ou não falei? Que parte sua continua e vai sempre continuar sendo estranha a mim? E que parte sua é meu similar? Meu diametralmente oposto e complementar?

Somos e sempre seremos estranhos.

Mas talvez seja isso que nos torne cativos um ao outro. Sempre.

5 comentários:

Ro... disse...

nossa,Juzita...q profundo! :O
adoreiiiii...uma boa reflexão...sobre tantos extranhos que conhecemos...ou não...ou ainda estamos por conhecer, talvez...

:)

beijãooooo
=*

Juliana disse...

;)
isso ai rozinha
foi uma idéia que me veio à cabeça sobre o assunto da estranheza :)
:*

Neto disse...

Sensacional, gostei muito.

Anna Paim disse...

Muito lindo,copiei no meu blog

Denise Zimmer. disse...

Adorei teu canto!