sábado, 16 de janeiro de 2010

acabei de assistir marley e eu. não é um bom momento para assistir esse filme.
sinto tanta falta do noopy. parte o coração lembrar de como ele estava quando eu cheguei de SP. ele estava sofrendo tanto. mas eu sinto tanta falta dele. queria que ele estivesse vivo e bem, saudável.
já foi tão terrível perder o bambi.. ele simplesmente fugiu, já tava tão velhinho, cego, davamos remédio pro coração para ele pois ele tinha problemas cardíacos, tava surdinho.. não conseguimos achá-lo mais e naqueles dias choveu tanto, não gosto nem de pensar o que ele pode ter passado...
eu sinto tanta falta dos dois..
e agora tem o nathan.. e ele é grande, é um boxer, e já tem 9 anos... cachorros grandes não vivem muito e eu sou tão louca por ele. eu amo esse cachorro molecão e babão. não gosto nem de imaginar como vai ser quando ele também for embora.
eu sinto tanta falta do noopy e do bambi. queria que o nathan vivesse para sempre.
que merda meu.
que outro ser vivo é capaz de esperar por você quando está morrendo? quando nem se mexe de dor? esperar por você para, então, morrer? eu não conheço muitos seres vivos capazes de amor incondicional como eles. talvez outros animais sejam capazes.. não o ser humano, mas os animais "irracionais", esses que as pessoas costumam comer por ai.. engraçado né?
merda de mundo. :(

Um comentário:

Solange de Paula disse...

Oi Juliana, eu também vi Marley e Eu com o sentimento à flor da pele. Adorei o filme! Grande abraço e te espero no meu blog Posso Falar? http://relatosecomentarios.blogspot.com e espero que goste, Solange